RSS

Às vezes a vida não é vida

30 Set

c-bresson-provenza-1999.jpe

Às vezes a vida não é vida.
É o que sobrou da morte.
Um porta-retrato sem foto,
Uma roupa que nunca foi usada.
Às vezes a vida é apenas o que a morte ainda não levou
E embora isso pareça muito, nunca é o bastante…

Olho a vidraça do tempo
E sinto que vai chover por toda a eternidade.

Os dias de sol não brilham o bastante
Para derreter todos os fantasmas.

Olho os pássaros no céu,
Deixo-me levar por eles…

Na verdade já fui para muito longe
E não sei mais quem escreve esses versos…

 
1 Comentário

Publicado por em Setembro 30, 2007 em Carol Timm, Poesia

 

One response to “Às vezes a vida não é vida

  1. Å®t_Øf_£övë

    Janeiro 5, 2008 at 5:14 pm

    Litinha,
    Este é um bom poema, no entanto não deixa transparecer nenhuma esperança. O seu autor parece não acreditar em nada, o que acabo por tornar estas palavras bastante “down”.
    Beijinhos.

     

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: