RSS

Fragmento

23 Out

>

Fotografia de Magda Marczewska

 

Podias ter-me dito que ias sair da minha vida. A paixão é mesmo isto, nunca sabemos quando acaba ou se transforma em amor, e eu sabia que a tua paixão não iria resistir à erosão do tempo, ao frio dos dias, ao vazio da cama, ao silêncio da distância. Há um tempo para acreditar, um tempo para viver e um tempo para desistir, e nós tivemos muita sorte porque vivemos todos esses tempos no modo certo. Podias ter-me dito que querias conjugar o verbo desistir. Demorei muito tempo a aceitar que, às vezes, desistir é o mesmo que vencer, sem travar batalhas. Antigamente pensava que não, que quem desiste perde sempre, que a subtracção é a arma mais cobarde dos amantes, e o silêncio a forma mais injusta de deixar fenecer os sonhos. Mas a vida ensinou-me o contrário. Hoje sei que desistir é apenas um caminho possível, às vezes o único que os homens conhecem. Contigo aprendi que o amor é uma força misteriosa e divina. Sei que também aprendeste muito comigo, mais do que imaginas e do que agora consegues alcançar. Só o tempo te vai dar tudo o que de mim guardaste, esse tempo que é uma caixa que se abre ao contrário: de um lado estás tu, e do outro estou eu, a ver-te sem te poder tocar, a abraçar-te todas as noites antes de adormeceres e a cada manhã ao acordares. Não sei quando te voltarei a ver ou a ter notícias tuas, mas sabes uma coisa? Já não me importo, porque guardei-te no meu coração antes de partires. Numa noite perfeita entre tantas outras, liguei o meu coração ao teu com um fio invisível e troquei uma parte da tua alma com a minha, enquanto dormias.

in “Vou contar-te um segredo”
 
3 Comentários

Publicado por em Outubro 23, 2008 em Margarida Rebelo Pinto

 

3 responses to “Fragmento

  1. Joel Vieira

    Março 12, 2010 at 2:48 pm

    >Lindo esse texto. Provavelmente foi fruto de uma experiencia real.

     
  2. Amaral

    Novembro 14, 2008 at 12:07 pm

    >Intemporais!…Espelhos da alma, caminhos pra caminhar em liberdade…Há um mundo lá fora… amar … quando menos se “merecer”… pois é quando mais se “precisa”!…No recomeço… naquele fio invisível: “Ter um amigo é uma dádiva”….Nunca só… porque existem os anjos… e há amor… e há sofrimento… uns e outros… naquele gosto de… pintar, sentir… quando… avé… há dias, pessoas únicas…Acho que (também)… o amor é… e o Natal está à porta (de novo)…Perdoa (esta viagem)…Há sempre um dia novo, aqui e agora!No Hoje sou a realidade que não fui ontem sem serei amanhã.Rodeados de pilares, vivemos os nossos sonhos!Aprendemos a amar, na nossa paz interior, naquele silêncio que é comunhão com Deus.Às vezes a luz resplandece… para que outra vida surja (não perquena, mas grandiosa) com outro visual, outros desejos, mas sempre no abraço eterno dos mesmos silêncios interiores…As palavras são sempre certas porque são instrumento da criação… e os gestos e os fragmentos, porque vindos do pensamento, criam e recriam, novos e únicos…

     
  3. the reason is you

    Outubro 24, 2008 at 9:52 am

    >Desistir é morrer mas por vezes é a unica solução possível. Desistir de algo para podermos avançar.Ficam as lembranças.

     

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: